Ressignificação da morte em Paulo à luz da Ressurreição: mensagem de conforto no contexto de pandemia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.54260/eb.v38i145.667

Palavras-chave:

morte, ressignificação, consolo, Covid-19

Resumo

O artigo parte da experiência dolorosa da perda dos entes queridos em tempos de pandemia para iluminar a questão do sentido da vida e da morte. O objetivo é relacionar essas experiências com situações dramáticas. Na comunidade cristã de Tessalônica pelo ano 51 da era cristã a preocupação era o destino dos mortos por ocasião da vinda do Senhor. No século III, Cipriano na obra “De mortalitate” em meio à epidemia exorta os cristãos a não temer a morte, pois morrer era encontrar-se com o Senhor. O estudo oferece um significado teológico da morte à luz da ressurreição de Cristo. A morte possui um significado, pois viver em Cristo é viver vida nova, e morrer é estar com Cristo ressuscitado. Conclui-se que a esperança cristã na vida eterna não é alienação num futuro celestial. Nas situações de morte quem vive como ressuscitado é solidário com os que sofrem e comprometido em promover vida. Portanto, a vida presente espelha a realidade futura. No entanto, quando o presente não apresenta sinais de esperança, coloca-se mais ênfase no futuro em Deus.

Biografia do Autor

Vicente Artuso, Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, Brasil

Doutor em Teologia (Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro) e Mestre em Exegese Bíblica (Pontifício Instituto Bíblico). Professor do Programa de Pós-Graduação em Teologia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, Brasil.

José Carlos Krause Ferreira, Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, Brasil

Pós-graduado em Teologia Bíblica - Novo Testamento (Pontifícia Universidade Católica do Paraná). Mestrando em Teologia na Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, Brasil.

Referências

ARTUSO, Vicente. O destino dos mortos e vivos. In: ROSSI, Luiz Alexandre Solano (Org.). 1Tessalonicenses: fé, esperança, amor e resistência. São Paulo: Paulinas, 2017. p. 143- 161.

ARTUSO, Vicente. A vinda do Senhor o futuro do homem e do mundo. In: ROSSI, Luiz Alexandre Solano (Org.). 1 Tessalonicenses: fé, esperança, amor e resistência. São Paulo: Paulinas, 2017. p. 163- 177.

ARTUSO, Vicente; ROSA, Patricia Zaganin Camilo. Visita de Deus na cidade de Jerusalém: juízo e salvação. Pistis & Práxis: Teologia e Pastoral, Curitiba, v. 13, n. 2, p. 786-805, maio/ago. 2021. DOI: https://doi.org/10.7213/2175-1838.13.002.DS06

BELINI, Antonio Luiz. A morte é o fim do homem inteiro, mas não inteiramente: teologia da morte em J. L. Ruiz de La Peña. São Leopoldo: Oikos, 2015.

BÍBLIA DE JERUSALÉM. São Paulo: Paulus, 2004.

BORTOLINI, José. Introdução a Paulo e suas cartas. 3. ed. São Paulo: Paulus, 2007.

CALDEIRA, Angela Cristina Germine Pinto. A ressurreição de Jesus uma abordagem a partir de Walter Kasper. Atualidade Teológica, Rio de Janeiro, v. 45, p. 596-609, set./dez. 2013. DOI: https://doi.org/10.17771/PUCRio.ATeo.22926

CENTRO BÍBLICO VERBO. O amor jamais passará: Entendendo a Primeira Carta aos Coríntios. São Paulo: Paulus, 2008.

CIPRIANO DE CARTAGO. A mortandade. In: OBRAS completas. São Paulo: Paulus, 2016.

CONSTITUIÇÃO Pastoral Gaudium et Spes. Sobre a Igreja no mundo de hoje. In: COMPÊNDIO do Vaticano II: constituições, decretos e declarações. 29. ed. Petrópolis: Vozes, 2000.

FRIBERG, Barbara e FREBERG Timothy. O Novo Testamento: grego analítico. São Paulo: Vida Nova, 2007.

GABATZ, Celso; ANGELIN, Rosângela. Ponderações críticas acerca da Covid-19: Contribuições para ampliar o entendimento no contexto brasileiro. Estudos Teológicos, São Leopoldo. v. 60, n. 2, p. 466-482, maio/ago. 2020. DOI: https://doi.org/10.22351/et.v60i2.4094

GOMES, Tiago de Fraga. A missão da Igreja em tempos de pandemia. Encontros Teológicos, Florianópolis, v. 36, n. 2, p. 337-353, maio-ago. 2021. Disponível em: https://facasc.emnuvens.com.br/ret/article/view/1665. Acesso em 22 nov. 2021. DOI: https://doi.org/10.46525/ret.v36i2.1665

GONÇALVES, José Maria. De Mortalitate: Cipriano de Cartago e a pandemia do terceiro século Estudos Teológicos, São Leopoldo, v. 60 n. 2 p. 390-403, maio/ago. 2020. Disponível em: http://dx.doi.org/10.22351/et.v60i2.4074. Acessso em: 22 nov. 2021. DOI: https://doi.org/10.22351/et.v60i2.4074

KASPER, Walter. El coronavírus como interrupcion: suspecion y salida. In: KASPER Walter et al. (Orgs.). Dios en la pandemia: ser cristianos em tiempos de prueba. Maliaño: Sal Terrae, 2020. p. 12-22.

PAPA FRANCISCO. La vida despues de la pandemia. Vaticano: Libreria Editrice Vaticana, 2020.

SCHNELLE, Udo. Paulo: Vida e pensamento. São Paulo: Paulus, 2010.

SCORSOLINI, Comin Fabio et al. A Religiosidade/Espiritualidade como Recurso no Enfrentamento da Covid-19. Revista de Enfermagem do Centro Oeste Mineiro, Divinópolis, v. 10, p. 1-12, 2020. Disponível em: http://seer.ufsj.edu.br/index.php/recom/article/view/3723. Acesso em 22 nov. 2021. DOI: https://doi.org/10.19175/recom.v10i0.3723

Downloads

Publicado

31/03/2023

Como Citar

ARTUSO, V.; CARLOS KRAUSE FERREIRA, J. Ressignificação da morte em Paulo à luz da Ressurreição: mensagem de conforto no contexto de pandemia. Estudos Bíblicos, São Paulo, v. 38, n. 145, p. 66–78, 2023. DOI: 10.54260/eb.v38i145.667. Disponível em: https://revista.abib.org.br/EB/article/view/667. Acesso em: 21 abr. 2024.