Cuidar e guardar a casa comum: um olhar a partir de Gn 2,15

Autores

Palavras-chave:

cuidar, guardar, cultivar, violência, Gn 2,15

Resumo

Pensando na realidade atual de destruição e violência contra a criação, o artigo propõe uma reflexão sobre o cuidado com a casa comum, a partir de Gn 2,15: “Iahweh Deus tomou o homem e o colocou no jardim de Éden para o cultivar e o guardar”. Esse homem não é um indivíduo, mas a coletividade, toda humanidade, que recebeu do Criador um grande presente que é o “Jardim”, uma terra fértil, que em contrapartida o ser humano deve guardar. Porém ao longo dos anos a espécie humana tem se distanciado da proposta inicial do zelo. A preocupação com o “dominar”, o ser “dono”, características próprias do neoliberalismo, está na contramão de Gn 2,15. O cuidado com a criação foi transformado em exploração dos recursos renováveis e não renováveis.

Biografia do Autor

Rosemary Francisca Neves Silva, Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Brasil

Doutorado em Ciências da Religião (Pontifícia Universidade Católica de Goiás), Mestrado em Ciências da Religião (Pontifícia Universidade Católica de Goiás). Professora efetiva na Pontifícia Universidade Católica de Goiás na Escola de Formação de Professores e Humanidades no Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências da Religião, na Graduação na Área de Teologia e Pedagogia.

Guedds Sobrinho da Silva

Filósofo, especialista em Gestão de Negócios, Gestão Financeira, Assessor da Pastoral Catequética e da
Pastoral do Dízimo e membro pesquisador do Grupo de Pesquisa CNPq: Religião, Teologia e Sociedade

Referências

A Bíblia de Jerusalém. 10. ed. São Paulo: Paulus, 2001.

ALVES, Rubem Azevedo. Estórias de quem gosta de ensinar. 5. ed. São Paulo: Cortez, 1985.

BOFF, Leonardo. Sustentabilidade. Petrópolis: Vozes, 2013.

CNBB. Campanha da Fraternidade 2017: Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida: Texto Base. Brasília: CNBB, 2017.

DOCUMENTOS DO MAGISTÉRIO. Laudato Si’: sobre o cuidado da casa comum. Carta Encíclica do Sumo Pontífice. São Paulo: Paulus; Loyola, 2015.

GALIMBERTI, Umberto. Os vícios capitais e os novos vícios. São Paulo: Paulus, 2004.

GOMES, Alessandro Martins. A relação entre Deus, Terra e o Homem. Anais do Congresso Internacional das Faculdades EST. V. 1, p. 1539-1554. São Leopoldo, 2012.

HRYNIEWICZ, Severo. Para filosofar hoje: introdução e história da Filosofia. Rio de Janeiro: Edição do Autor, 2001.

KAEFER, José Ademar. Bíblia e sustentabilidade: fazendo caminho. Revista Caminhando, v 18, n. 2, Jun/Dez, p. 07-19, 2013.

LAGES, José Antônio Correa. Como superar a contradição entre crescimento e cuidado encontrado no livro de Gênesis. Revista Caminhando, v. 18, n. 2, Jun/Dez, p. 45-54, 2013.

LÉON-DUFOUR, Xavier. Vocabulário de Teologia Bíblica. Petrópolis: Vozes, 2009.

PEGORARO, Olinto Antônio. Ética é Justiça. Petrópolis: Vozes, 1995.

PORTES, Paulo de Lima. Gênesis 2–3 seu avesso: uma abordagem antropológica. Orácula. São Bernardo do Campo, v. 2, n. 3, p. 01-14, 2006.

REIMER, Haroldo. Bíblia e ecologia. São Paulo: Reflexão, 2010.

______. Criação e cuidado: perspectivas bíblicas. Atualidades Teológicas. Ano 15, n. 37, Janeiro a abril, p. 11-26, 2011.

RIGACCI JUNIOR, Germano. A experiência religiosa e o encontro humano: um olhar filosófico. In: AMATUZZI, Mauro Martins (org.). Psicologia e espiritualidade. São Paulo: Paulus, 2005, p. 49-58.

SANTOS, Boaventura Souza. A crítica da razão indolente: contra o desperdício de experiência. São Paulo: Cortez, 2000.

Downloads

Publicado

09/10/2021

Como Citar

SILVA, R. F. N. .; SILVA, G. S. da . Cuidar e guardar a casa comum: um olhar a partir de Gn 2,15. Estudos Bíblicos, São Paulo, v. 34, n. 133, p. 41–48, 2021. Disponível em: https://revista.abib.org.br/EB/article/view/120. Acesso em: 1 mar. 2024.