Por uma hermenêutica dos <i>tópoi</i> bíblicos

Autores

Palavras-chave:

Hermenêutica

Resumo

Os artigos aqui reunidos, discutidos antes de escritos, não vão responder a todas as questões dessa nossa boa época de instabilidade, desse feliz desequíbrio. Tentarão, porém, sugerir direções partindo de um guia seguro: nossa base são os textos bíblicos. Vamos buscar o espaço para o qual a letra aponta em seu aspecto epifânico, metafórico e simbólico, real, concreto, objetivo e subjetivo também; queremos mapear o espaço sentido e o imperceptível. E mais, buscamos um espaço que, embora preso às letras inúmeras, a múltiplas partículas, em hebraico e grego e línguas outras mil – aquelas em que os livros da Bíblia foram traduzidos e até aquelas que só pertencem ao Espírito de Deus – , um espaço que se faz carne e corpo, deambula entre nós, às vezes muito sensorial (ou seria imaginário?).

Biografia do Autor

Tereza Virgínia Ribeiro Barbosa, Universidade Federal de Minas Gerais, Brasil

Doutora em Linguística e Língua Portuguesa pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Mestra em Estudos Lingüísticos pela Universidade Federal de Minas Gerais. Professora na Universidade Federal de Minas Gerais, Brasil.

Referências

ATANÁSIO. Vida e conduta de Santo Antão. São Paulo: Paulus, 2002, p. 283-367.

BENNINGTON, Geoffrey & DERRIDA, Jacques. Jacques Derrida. Chicago/Londres: University of Chicago Press, 1993, p. 207-212.

BÍBLIA. Tradução ecumênica. São Paulo: Loyola, 1997.

BRANDÃO, Luis Alberto. Espaços literários e suas expansões. Aletria 15, 2007, p. 207-220.

CARVALHO, Júlio. O tecelão e o tecido. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2000.

CALLE, Francisco de la. Ateologia de Marcos. Trad. de José RaimundoVidigal. São Paulo: Paulinas, 1984.

GUMBRECHT, Hans Ulrich. “Perdido numa intensidade focada”: esportes e estratégias de reencantamento. Aletria 15, 2007, p. 11-19.

LESSING, G.E. Laocoonte ou sobre as fronteiras da pintura e da poesia. Trad. de Márcio Seligmann-Silva. São Paulo: Iluminuras, 1998.

MACIEL, Maria Esther. Sintonia de cristais. In: Poesia Net: http://www.algumapoesia.com.br/poesia/poesianet097

MILLER, Stephen G. Ancient Greek Athletics. New Haven, CT: Yale University Press, 2004.

NOVUM TESTAMENTUM GRAECE ET LATINE. E. Erwin Nestle et D. Kurt Aland (orgs.). Stuttgart: Württembergische Biblelanstalt Stuttgart, 1962.

PLATONE. Repubblica, Timeo, Crizia. Testo greco a fronte. Trad. e note di Umberto Bultrighini, Gionanni Caccia, Enrico Pegone. Roma: Grandi Tascabili Economici, 1997.

PLUTARCO. The oracles at Delphi no longer given in verse. Moralia. Vol. V. Greek and English. Trad. de Frank Cole Babbitt. Cambridge/Londres: Harvard University Press, 1993.

RIBEIRO FERREIRA, José. A hélade e os helenos: gênese e evolução de um conceito. Coimbra: Inic, 1992.

ROBINSON, T.M. A psicologia de Platão. Trad. Marcelo Pimenta Marques. São Paulo: Loyola, 2007.

SANSONE, David. Greek athletics and the genesis of sport. 1992.

SANTIAGO, Silviano. Palavra sobre palavra. Jornal de resenha, n. 6, 2009, p. 12-13.

SOETHER, Paulo Astor. Espaço literário, percepção e perspectiva. Aletria 15, 2007, p. 221-229.

VIEIRA, António. Sermão da Sexagésima. In: Sermões: Pe. António Vieira. Introd. e org. de Alcir Pécora. São Paulo: Hedra, 2000, p. 29-52.

VILLA, Jesús de la. Caractérisation fonctionelle du datif grec. Glotta, n. 67, 1989, p. 20-40.

Downloads

Publicado

23/11/2021

Como Citar

BARBOSA, T. V. R. . Por uma hermenêutica dos <i>tópoi</i> bíblicos. Estudos Bíblicos, São Paulo, v. 28, n. 107, p. 11–24, 2021. Disponível em: https://revista.abib.org.br/EB/article/view/429. Acesso em: 17 jul. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.