A halakhah de Qumran: entre a tradição e a inovação

Autores

Palavras-chave:

Halakhah, Qumran, tradição, inovação, 11QT, 1QS

Resumo

Na região da Judeia, durante o período do Segundo Templo, havia uma pluralidade considerável de grupos religiosos de matriz judaica. Cada um deles possuía uma halakhah elaborada com base nas tradições antigas, mas que esteve também aberta para inovações. Um dos grupos em que a tradição e a inovação estiveram presentes foi o de Qumran. Em seus escritos é possível encontrar um número significativo de elementos halakhicos herdados do passado. Contudo, os que mais chamam a atenção são os elementos inovadores. São estes que necessariamente conduzem à seguinte questão: o que esteve por trás das inovações na halakhah de Qumran? Como será considerado neste artigo, o tempo presente foi o responsável por prover a matéria-prima necessária para as inovações em Qumran.

Biografia do Autor

Fernando Mattiolli Vieira, Universidade de Pernambuco, Brasil

Mestre e Doutor em História, pela Universidade Estadual Paulista (UNESP/Assis). É coordenador do Programa Residência Pedagógica (CAPES), no componente curricular História, da Universidade de Pernambuco/Petrolina (2020-2021). Coordena também o grupo de estudos História e Violência nessa mesma universidade. É professor adjunto na Universidade de Pernambuco, campus de Petrolina. 

Referências

BÍBLIA DE JERUSALÉM (7ª impressão revista). São Paulo: Paulinas, 1995.

BURNS, Joshua E. Essene sectarism and social differentiation in Judaea after 70 c.e. HTR, Cambridge, v. 99, n. 3, p. 247-274, 2006.

HEGER, Paul. The pluralistic Halakhah: legal innovations in tthe Late Second Commonwealth and Rabbinic periods. Berlim: Walter de Gruyter, 2003.

MARTÍNEZ, Florentino G. Textos de Qumran – Edição fiel e completa dos documentos do Mar Morto. Trad. Valmor da Silva. Petrópolis: Vozes, 1995.

METSO, Sarianna. The Textual Development of the Qumran Community Rule. Leiden: Brill, 1997.

NEUSNER, Jacob. The Halakhah: Historical and Religious perspectives. Leiden: Brill, 2002.

SCHIFFMAN, Lawrence H. Pharisaic and Sadducean Halakhah in Light of the Dead Sea Scrolls: The Case of TevulYom. Dead Sea Discoveries, Leiden, v. 1, p. 285-299, 1994.

___________. The halakhah at Qumran. Leiden: Brill, 1975.

SCHOFIELD, Alison. From Qumran to the Yahad: A new paradigm of textual development for the Community Rule. Leiden: Brill, 2009.

SHANKS, Hershel. Understanding the Dead Sea Scrolls. Nova York: Random House, 1992.

SHEMESH, Aharon. Halakhah in the making: the development of Jewish Law from Qumran to the Rabbis. California: University of California Press, 2009.

SHEMESH, Aharon & WERMAN, Cana. Halakhah at Qumran: genre and authority. Dead Sea Discoveries, Leiden, v. 10, n. 11, p. 104-129, 2003.

___________. Halakhah in the Making: The Development of Jewish Law from Qumran to the Rabbis. Berkeley: University of California Press, 2009.

___________.The scriptural background of the Penal Code in the Rule of the Community and Damascus Document. DSD, Leiden, v. 15, n. 2, p. 191-224, 2008.

VIEIRA, Fernando Mattiolli. E o homem que murmura contra o ensinamento secreto da Yahad será expulso e não mais voltará (1QS 7:17): A expulsão na comunidade judaica do Mar Morto, 2014, 269 f. Tese de Doutorado em História – Faculdade de Ciência e Letras, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Assis, 2014.

WEINFELD, Moshe. The organization pattern and the Penal Code of the Qumran sect: a comparison with guilds and religious associations of the Hellenistic-Roman period. Göttingen: Vandenhoeck & Ruprecht, 1986.

Downloads

Publicado

07/10/2021

Como Citar

FERNANDO MATTIOLLI VIEIRA. A halakhah de Qumran: entre a tradição e a inovação. Estudos Bíblicos, São Paulo, v. 34, n. 136, p. 417–430, 2021. Disponível em: https://revista.abib.org.br/EB/article/view/87. Acesso em: 27 nov. 2022.